Notícias


A história de Belo Horizonte

29/10/2014


3º Ano

Manhã

Adriana

Belo Horizonte
 
“Na origem de toda cidade existe um sonho. Deixando para trás o que têm, aventureiros que partem para fazer a vida em um local desconhecido carregam consigo apenas a esperança de dias melhores. Para eles, só o futuro importa. Misterioso, ele desafia o homem, ao mesmo tempo prometendo prosperidade e ameaçando com incertezas e dificuldades. 
A história de Belo Horizonte não é diferente. Planejada para ser a capital de Minas Gerais, a cidade surgiu num período marcado por muitas transformações. A Abolição da Escravatura e a Proclamação da República, os progressos da ciência e da indústria espalhavam no ar uma onda de otimismo, fazendo com que se acreditasse possível construir uma sociedade perfeita. Imigrantes estrangeiros, mineiros do interior e gente de todas as partes do país vieram para cá. Buscavam empregos, melhores oportunidades de vida e, sobretudo, a modernidade. Esses bravos sonhadores ergueram a Nova Capital.
Hoje, passados mais de cem anos, aquela aventura tornou-se memória. Os sonhos dos pioneiros deram lugar à realidade. Nem tudo saiu como planejado. Desde cedo, Belo Horizonte enfrentou problemas e logo constatou que a perfeição era inalcançável. A capital desenhada por técnicos e engenheiros, estudada e planejada com rigor científico era um cidade habitada - mais do que o traçado de suas ruas, mais que de prédios construídos, a cidade é feita de pessoas. E é no movimento diário dessa gente, no trabalho, nas escolas, nas lutas do dia-a-dia que ela ganha vida.
Nenhum plano, por mais rigoroso que fosse, seria capaz de torná-la perfeita. Mas, certamente, são as ações de cada um de seus cidadãos que podem fazer da cidade um lugar mais humano, mais justo e melhor de se viver. “Esta é, precisamente, a maior lição que nos ensina a história de Belo Horizonte.”
                                                                           
Célio de Castro - prefeito de Belo Horizonte na ocasião do centenário:  http://portalpbh.gov.br/pbh      
 
                                                       O terceiro ano, complementou os estudos sobre a história de Belo Horizonte, participando do City Tour. Acompanhem o nosso roteiro.
Estivemos na área do Museu Abílio Barreto para apreciar e ouvir sobre a Fazenda do Leitão, hábitos e costumes dos moradores, o carro de boi utilizado como meio de transporte, a maria fumaça Mariquinha e o bonde. 
 
 
 
 
 
Seguimos para o complexo da Pampulha, passamos pela Praça Raul Soares, pelo Mercado Central e a próxima parada foi na Igreja de São Francisco de Assis: ouvir e refletir sobre o projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer, as pinturas de Portinari e os jardins de Burle Marx. 
 
 
 
 
 
 
Percorremos o entorno do Mineirão e Mineirinho, a Praça da Estação e chegamos à Praça da Liberdade. Lendas, projetos e obras. O que antes simbolizava a praça do governo, atualmente compõe o Complexo Cultural Praça da Liberdade.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fomos até a Praça Israel Pinheiro, apelidada carinhosamente após a visita do Papa João Paulo II, de Praça do Papa, aos pés da Serra do Curral, onde encerramos o nosso estudo.
 
 
 
 
       
 

 

 






Trabalhe conosco